Laimosemion xiphidius 

laimosemion-xiphidius-crique-boulanger
Descrição original Huber, J.H. 1979. A propos de quatre nouvelles Collections de Rivulus des Guyanes, avec Description de Rivulus xiphidius n. sp. et Rivulus amphoreus n. sp. Rev. fr. Aquariol. Herpétol., 6: 66, fig. 3.
Subgénero
Etimologia Pequena (do Grego: idion) espada (do Grego: xiphos), em referência à lista centrada longitudinalmente e que vai estreitando, na cabeça, laterais e barbatana caudal, , que o macho por vezes apresenta, como uma espada.
Localidade tipo A montante de Saint-Georges, por trás das cataratas de Maripa, algumas centenas de metros de Oyapock, perto da fronteira com o Brasil, Guiana Francesa.
Populações e códigos Bagne des Annamites,  Camp Caiman II,  Carsevenne,  Crique Blanche (FGFS 11-05),  Crique Boulanger (GP 05-12), Crique Cascade,  Crique Gabrielle,  Crique l’Anguille, Fleuve Kourou,  Fourgassier,  Montagne des Chevaux,  Oyapock, Petit Saut,  Piste St Elie,  PK101-RN2,  PK4-D20,  PK87-RN2,  Route de Belizon
Comprimento do macho 4 cm
Comprimento da fêmea Mais pequena.
Habitat
e distribuição
Riachos com pouca corrente na floresta primária. Guiana Francesa e Brasil.
Manutençã0 Espécie com dificuldade de manutenção difícil.

Em aquários pequenos deverá manter-se apenas um casal (uma segunda fêmea irá comer os ovos do casal em postura). Água ligeiramente ácida com baixa condutividade; fundo de areia com algumas folhas de carvalho. De resto são tolerantes quanto à temperatura, luminosidade e quantidade de oxigénio dissolvido na água.

Alimentação:

Comida viva  – Dáfnias, Grindal, Enquitréias e Larvas Mosquito.

Comida congelada – Artémia salina e bloodworms.

Comida seca – Flocos ou granulado de boa qualidade.

Reprodução Usar mop’s que tenham uma parte significativa de área emersa onde os peixes possam desovar. Os ovos podem ser incubados em recipientes com água semelhante à do aquário dos pais ou colocados sobre turfa húmida.

Os alevins podem ser alimentados desde o primeiro dia com artémia salina recém eclodida, infusórios e microvermes

Temperatura (ºC) 10.  11.  12.  13.  14.  15.  16.  17.  18.  19.  20.  21.  22. 23.  24. 25.  26.  27.  28.   29.  30.  31.  32.  33.  34.  35
pH 5.4 – 5.6 – 5.8 – 6.0 – 6.2 – 6.4 – 6.6 – 6.8 – 7.0 – 7.2 – 7.4 – 7.6 – 7.8 – 8.0 – 8.2 – 8.4
Iluminação  muita intensidade – média intensidade – pouca intensidade – luz difusa
Aquário (capacidade mínima)  10L;  20L;  30L;  50L;  100L
Observações A tampa do aquário não deverá ter nenhum orifício dado que são excelentes saltadores.

Trocas parciais de água regulares com sifonagem do fundo para que a água se mantenha em excelentes condições é fundamental no desenvolvimento dos alevins.

Laimosemion xiphidius
laimosemion-xiphidius-crique-boulanger

Laimosemion xiphidius

0