Carregando conteúdos...
...Por favor aguarde!
English
Notí­ciasAgendaOutros SitesPesquisaContactosLivro de Visitas
 
toplogo
   
Fichas Técnicas
  Aphyosemion bamilekorum Radda, 1971
Primeira descrição Radda, A.C. 1971. Cyprinodontidenstudien im südlichen Kamrun 5, Das Wald- und Grasland im westlichen Kamerun. Anhang: Vorläufige Beschreibung von Aphyosemion bamilekorum nov. spec. Aquaria 18: 177-181, fig. 5-6
Etimologia bamilekorum - da tribo Bamileke, que habita na área de distribuição desta espécie
Localidade tipo Riacho 9 km a noroeste de Bafoussam, na estrada para Bamenda, nas terras altas do sudoeste dos Camarões (10º 23' E; 05º 30' N)
Subgénero Kathethys Huber 1977. Alguns autores discordam colocando esta espécie num subgénero monoespecífico (Amiet em 1987; Wildekamp em 1993)
Dados merísticos D 12, A 15, Sc 27 (+2), D/A = 1/5-7 (Radda, 1971); (D 13-14, A 16-18, Sc 27-28 por Radda e Purzl, 1983)
Cromosomas n = 17, A = 32 (Scheel, 1974)
Escamas frontais Variavel mas geralmente do tipo G
Comprimento 14.5-31.5 mm comprimento standard (Radda, 1971); (31.5 mm comprimento standard segundo Scheel, 1990; 40 mm comprimento total segundo Radda & purzl, 1983
Habitat e distribuição Perto das margens e sob plantas pendentes em riachos de corrente rápida nas terras altas de savana do sudoeste dos Camarões, entre Bafoussam e Mbouda, no sistema do Rio Sanaga. A distribuição desta espécie é limitada e poderá representar a relíquia de uma área de distribuição outrora mais alargada.
Descrição Uma espécie de Aphyosemion relativamente pequena e robusta com barbatanas arredondadas.
Manutenção e reprodução Na generalidade não é uma espécie fácil de manter e reproduzir, sendo normalmente tímida e sensível à poluição. Desova em plantas (ou mops) em todos os níveis do aquário. Os ovos desenvolvem-se em 14-17 dias e poderão ser incubados em água ou turfa muito húmida. Os alevins são de crescimento lento e apesar de poderem atingir a maturidade sexual em cerca de 8 meses, poderá demorar um ano até que os sexos sejam claramente distintos e que os machos apresentem as suas cores na totalidade.
Temperatura (ºC) 10.11.12.13.14.15.16.17.18.19.20.21.22.23.24.25.26.27.28.29.30.31.32.33.34.35
pH     5.4 - 5.6 - 5.8 - 6.0 - 6.2 - 6.4 - 6.6 - 6.8 - 7.0 - 7.2 - 7.4 - 7.6 - 7.8 - 8.0 -8.2 - 8.4
Observações Este Aphyosemion invulgar foi colocado no subgénero Kathethys por Huber em 1977 com base no seu cariótipo, formato da cabeça e zoogeografia. Em 1987 Amiet entendeu removê-lo desse subgénero com base na morfologia, padrão de cor e distribuição limitada. O Aphyosemion bamilekorum ocorre numa área onde todas as outras espécies presentes têm uma distribuição alargada. O problema da filogenía não foi solucionado por Amiet porque aparentemente esta espécie poderá ser uma relíquia de um grupo de espécies anteriormente mais diverso e do qual o género Nothobranchius poderá representar um ramo evolucionário.

Voltar

Mês AnteriorOutubro, 2017Mês Seguinte
D S T Q Q S S
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31