ARTÉMIA RECEM ECLODIDA

HOME / KILLIFILIA / ARTIGOS / ALIMENTAÇÃO / VIVA

Muito do que a aquariofilia actualmente é se fica a dever a este pequeno crustáceo branquiópode. Muito nutritivo e aparentemente saboroso (poucos são os peixes que se recusam a comê-lo), tem ainda a vantagem adicional de poder ser facilmente cultivado e aguentar muito bem a congelação, sem perder muito do seu valor. Os seus ovos, resistentes à secura durante anos a fio, eclodem quando recolocados em àgua salgada e os seus recém-nascidos (chamados náuplios) são do tamanho ideal para constituirem o primeiro alimento de todos menos os menores dos alevins. Mesmo os killis adultos não desdenham fazer uma boquinha de náuplios de artémia…

Adultos – A Artemia salina encontra-se em quantidade em águas paradas de estuários, salinas, etc., onde se alimenta filtrando da coluna de água micro-organismos e matéria orgânica. A forma mais simples de a conseguir é fazendo uma visita a umas salinas, como as do Samouco ou de Rio Maior. Nos tanques ou nos canais que os alimentam, e recorrendo a uma vulgar rede, colhe-se em grande quantidade, dependendo da estação do ano. Em casa pode conservar-se no frigorífico durante alguns dias ou manter-se viva em recipientes mais ou menos espaçosos, com ou sem recurso a um compressor para oxigenar a água. Eu mantenho-a em casa em vulgares garrafões de 5 litros com água salgada e uma pedra difusora, alimntando-as com pó de Spirulina (disponível como suplemento alimentar em farmácias ou lojas de produtos dietéticos), alimento em pó para alevins (Micron, da SERA) ou uma papa de fermento de pão. Outra alternativa é a chamada àgua verde, que mais não é que uma suspensão de algas unicelulares. Para a obter basta deixar ao sol um recipiente com água salgada e um pouco de adubo líquido, ou água proveniente de mudanças nos nossos aquários, adicionando sal grosso à razaão de uma colher de sopa por litro. Em pouco tempo ela fica turva e verde, sendo fornecida à artémia. Como referi, a artémia também pode ser cultivada, em recipientes amplos com água salgada. Esta deve ser deixada ao sol durante uns dias até se tornar verde, introduzindo-se então os náuplios. Quando os náuplios consumirem toda a água verde, passa-se a alimentar a cultura. Ao fim de um mês a artémia atingirá o estado adulto. Porém, todo este trabalho pode não compensar face à conveniência da utilização da artémia congelada.

Náuplios – Os náuplios de artémia são o alimento por excelência dos alevins e juvenis de quase todas as espécies de peixes de aquário. Os ovos são vendidos no comércio e parecem areia fina. As condições ideais de eclosão dão-se em água salgada (33g ou aproximadamente uma colher de sopa de sal por litro de água) a 28ºC, com uma oxigenação intensa de todo o volume de água. Nestas condições a eclosão dá-se em cerca de 24 horas e os náuplios podem ser conservados no frigorífico por 48 horas. Existem no comércio diversos dispositivos para a sua obtenção, mas podem ser substitúidos por garrafões ou garrafas de refrigerante de 2 litros. Para os recolher, desliga-se o ar. Após alguns minutos as cascas depositam-se no fundo e os ovos não eclodidos ficam a flutuar, enquanto os náuplios se concentram a meio da água. Como são atraídos pela luz, uma pequena lanterna num quarto escurecido ajudará ainda mais a esta concentração. Podem então ser aspirados com recurso a um tubo e recolhidos num crivo de malha muito fina.